segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

EXISTE VIDA APÓS O NASCIMENTO???



Incontáveis vezes eu tive, e ainda tenho, que encerrar “discussões”, análises e/ou bate-papos ao receber, como chave de fechamento de assunto, os sonoros e conhecidos jargões: “tudo depende do ponto de vista” ou “tudo é muito relativo”, mas começo a pensar que nem sempre deveria! 

Temos nossas crenças dependendo de todo o “conteúdo” aos quais fomos submetidos e àquilo que fomos incorporando, como mais plausível, ao longo de nossas existências. O inexplicável, o controverso, o desconhecido e até mesmo o lado oculto de muitas situações vivenciadas, sempre nos coloca em estado de alerta ou de defesa. Para seguirmos em frente, nestas situações, criamos ou reforçamos nossos paradigmas, aceitamos dogmas universais ou simplesmente nos apoiamos em sentimentos que “germinam” de nosso interior, buscando respostas mais confortáveis e que nos mantenham em equilíbrio. 
Portanto, “algumas vezes” ao aceitarmos que tudo depende do ponto de vista ou que tudo é muito relativo, acredito que estamos apenas criando uma situação que atende à nossa zona de conforto e de equilíbrio, e não uma solução, uma resposta ou conclusão!

Divirtam-se com a metáfora abaixo! Talvez agregue sabedoria refletir sobre ela! 
VOCÊ ACREDITA EM VIDA APÓS O NASCIMENTO?



"No ventre de uma mulher grávida, estavam dois bebês. O primeiro pergunta ao outro:
- Você acredita na vida após o nascimento?
- Certamente. Algo tem de haver após o nascimento. Talvez estejamos aqui, principalmente, porque nós precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.

- Bobagem, não há vida após o nascimento. Como verdadeiramente seria essa vida?
- Eu não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comeremos com a boca.
- Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta.
Eu digo somente uma coisa: A vida após o nascimento está excluída – o cordão umbilical é muito curto. 
- Na verdade, certamente, há algo. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui.
- Mas ninguém nunca voltou de lá, depois do nascimento. O parto apenas encerra a vida. 
- Bem, eu não sei exatamente como será depois do nascimento, mas, com certeza, veremos a mamãe e ela cuidará de nós.
- Mamãe? Você acredita na mamãe? E onde ela supostamente está?
- Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela tudo isso não existiria.
- Eu não acredito! Eu nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que não existe nenhuma.
- Bem, mas às vezes, quando estamos em silêncio, você pode ouvi-la cantando, ou sente, como ela afaga nosso mundo..."



Na psicologia define-se que a escala da percepção humana começa na inconsciência (ausência de percepção da realidade), passa à ignorância (percepção da existência da realidade, mas sem conhecimento), segue-se o conhecimento (percepção sensorial (dos nossos sentidos) da realidade), o saber (percepção mental da realidade), e por fim a consciência (percepção sensorial, mental e funcional) da realidade. 
Será?


Um comentário: